A voz da mulher indígena

projeto

A voz da mulher indígena – A Radia Cunhã e a Rede “Pelas Mulheres Indígenas” do Nordeste em Ciclo de Oficinas de Ecologia Social

INSTITUIÇÃO

Thydêwá

REGIÃO

Ilhéus – BA

ANO

2019

O projeto

Os atendimentos a mulheres indígenas são comumente periféricos, com poucos investimentos destinados a esse grupo. Idealizado para ser uma etapa de um conjunto de ações para fortalecimento da Rede Pelas Mulheres Indígenas, este projeto beneficiou diretamente 75 mulheres indígenas moradoras da Aldeia Cachimbo Imboré e da Aldeia Milagrosa. Utilizando diferentes técnicas e práticas como o Teatro da Oprimida (TO), as Oficinas de Ecologia Social visavam a ampliação da consciência das mulheres indígenas participantes por meio da criação de um espaço seguro para expressão e acolhimento de suas vivências. As Oficinas de Organização de Grupos, por sua vez, trabalharam como potencializar e estruturar encontros e fortalecer lideranças.

Objetivos

– Fortalecer a Rede pelas Mulheres Indígenas.

– Empoderar mulheres em temas que elas mesmas expressam, tais como gênero, racismo, saúde, maternidade, educação, liderança, expressão política, ecologia, união e integração entre aldeias.

– Ativar multiplicadoras para facilitar outros encontros e reuniões de outros grupos indígenas.

resultados

– Impulso de novas trocas entre as aldeias pela ativação da Rádio Cunha e VimVim, com a produção e lançamento de esquetes.

– Ativação de multiplicadoras através de ferramentas de organização e desenvolvimento de grupos e tarefas de facilitação.

– Divulgação de relatos ilustrados e informativos nas mídias da Rede pelas Mulheres Indígenas, ajudando a dar visibilidade aos grupos indígenas.

– Elaboração de documento de relatoria criativa detalhado, com a expectativa de que seja utilizado como material de multiplicação por mulheres indígenas que assim desejarem.