Apoio aos Trabalhadores e Usuários do SUS na Pandemia do Coronavírus em Minas Gerais

projeto

Apoio aos Trabalhadores e Usuários do SUS na Pandemia do Coronavírus em Minas Gerais

INSTITUIÇÃO

ABMA – MG (Associação Brasileira de Medicina Antroposófica – Regional Minas Gerais)

REGIÃO

Belo Horizonte – MG

ANO

2020

O projeto

Com foco na pandemia de Covid-19, o projeto da ABMA-MG visa a intervenção direta para o fortalecimento anímico e da imunidade como resposta aos desafios impostos pelo momento, por via da produção e distribuição de medicamentos antroposóficos, inicialmente prevista para as cidades mineiras de São João Del Rey, Nova Lima, Matozinhos, Serro, Diamantina e Jordânia, mas que se estendeu para a comunidade da favela de Paraisópolis, em São Paulo. O projeto surgiu em consequência da pandemia e é também uma forma de tornar a Medicina Antroposófica mais conhecida e acessível, especialmente neste período em que celebramos seu centenário. Minas Gerais é o estado brasileiro que tem mais médicos antroposóficos no SUS e a ideia é ampliar o acesso destes profissionais de saúde e dos usuários do SUS no estado aos medicamentos antroposóficos. Além disso, o projeto inclui a realização de uma pesquisa pioneira de avaliação da utilização da medicina antroposófica por estes públicos.

Objetivos

– Apoiar os trabalhadores do SUS no enfrentamento da pandemia.

– Diminuir o impacto da pandemia na população de risco nas áreas onde atuam médicos antroposóficios no SUS em Minas Gerais.

– Dar acesso aos medicamentos antroposóficos para os profissionais e usuários do SUS.

– Elaborar e conduzir uma pesquisa sobre a atuação da medicina antroposófica na pandemia da Covid-19 em Minas Gerais.

– Colaborar para que a medicina antroposófica possa cumprir seu papel humano, espiritual e social no Brasil.

resultados

– Aumento significativo da produção de medicamentos antroposóficos pela Associação Yochanam – MG.

– Atendimento a todos os trabalhadores do SUS nas áreas de atuação dos médicos antroposóficos em Minas Gerais.

– Extensão do projeto (distribuição de medicamento) para o hospital-referência do SUS em

Santo Antônio do Amparo (MG) e para a comunidade da favela de Paraisópolis (SP).

– Estudo quali-quantitativo, inédito, sobre os impactos da medicina antroposófica na qualidade de vida dos públicos-alvo (em curso).