rECANTO DA fOLHA

projeto

Ma’ety, mbaraete nhemboguata tekoá Mbya kuery – Agricultura biodinâmica como pedagogia do fazer com sentido nas comunidades Mbya Guarani

INSTITUIÇÃO

Associação Comunitária Recanto da Folha

REGIÃO

Taquari – SC

ANO

2020

O projeto

A agricultura biodinâmica, a nutrição funcional e a gestão intercultural de resíduos sólidos e de sistemas agroflorestais formam a base deste projeto realizado junto às aldeias Guapoy e Yvy Poti, localizadas no município de Barra do Ribeiro, Rio Grande do Sul. A meta é a descontaminação dos solos por meio do uso de preparados biodinâmicos, que fortalecem o cultivo de alimentos, facilita o acesso a espécies da medicina tradicional em florestas nativas e promove a segurança alimentar e nutricional das comunidades indígenas. O projeto beneficia diretamente a população de cerca de 250 pessoas das duas, mas também impacta aproximadamente outras 1.000 pessoas, entre indígenas que vivem nas demais 12 aldeias da região Centro Sul do estado e estudantes do curso de Gestão Ambiental da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS. Com a pandemia, passaram a ser também utilizados os ambientes virtuais de aprendizagem, o que trouxe maior adesão de palestrantes e oficineiros, tornando possível atingir outros estados brasileiros e aumentar o número de horas previstas para as atividades.

Objetivos

– Revitalizar o solo das aldeias por meio do uso de preparados biodinâmicos nas duas aldeias Mbya Guarani.

– Revigorar os ambientes das aldeias para reprodução e retorno da fauna e da flora locais.

– Criar estratégias interculturais para gestão de resíduos sólidos nas duas aldeias.

– Ampliar as condições de saúde por meio do acesso as espécies da medicina tradicional e alimentação saudável.

resultados

– Criação de três novos grupos de CSA (Comunidades que Sustentam a Agricultura).

– Preparação do solo com biodinâmicos e posterior plantação de 380 mudas de árvores nativas, entre pioneiras (aroeira brava, grumixama, jaborandi) e frutíferas (bananeiras, pitangueiras, lichia). Além disso, 180 mudas de Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANC), chás, hortaliças e temperos.

– Sensíveis melhorias no solo, em termos de drenagem, absorção de minerais espontâneos e controle de espécies invasoras.

– Instalação de uma mini-central de separação de resíduos nas duas aldeias, precedida por conversa de orientação com os monitores Guarani sobre a importância da separação correta dos resíduos.