Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica da Uergs em Tapes amplia atuação para outras regiões do estado

Criado em 2018 com o intuito de construir e disseminar conhecimentos sobre agricultura biodinâmica, o Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica da Uergs em Tapes (NEA) tem ampliado sua atuação para outras regiões do estado. Numa parceria com a Associação Comunitária Recanto da Folha, uma ONG situada no Vale do Taquari, o NEA está desenvolvendo, desde junho deste ano, o projeto Promovendo a socialização da CSA e da agricultura biodinâmica como tecnologia social nas comunidades. 

As Comunidades que Sustentam a Agricultura local (CSAs) são um tipo de circuito curto de comercialização de alimentos em que agricultores deixam de vender os produtos que cultivam a intermediários e contam com a participação dos consumidores na organização e financiamento de sua produção. De acordo com a professora Rafaela Printes, coordenadora do NEA da Uergs, esse sistema colabora para o desenvolvimento rural sustentável do território e estimula o comércio justo. 

O projeto de socialização das CSAs e da agricultura biodinâmica desenvolvido pelo NEA e pela Recanto da Folha abrange os municípios de Pouso Novo, Lajeado, Encantado, Taquari, Estrela e Teutônia, em busca de um caminho alternativo para fortalecer uma rede de produção e consumo consciente e de geração de renda para a agricultura familiar. “A importância deste projeto está em promover uma ação coletiva voltada a aproximar agricultores e co-agricultores, a partir da socialização da agricultura biodinâmica, como um caminho para ofertar alimentos ricos em energia vital, visando a segurança alimentar e nutricional, dando suporte aos agricultores por meio da tecnologia social CSA”, explica Rafaela.

Em meio ao novo contexto imposto pela pandemia de Covid-19, o projeto passou por uma adaptação. Assim, as atividades inicialmente planejadas para ocorrer de forma presencial, agora incluem vídeoaulas e videoconferências em que são feias as abordagens teóricas. Em seguida, são realizadas as atividades de campo em um organismo agrícola escolhido pelo grupo de cada município. 

No dia de campo, é realizado um bate-papo sobre a operacionalização do CSA, montagem das cestas (cotas), custos dos alimentos e os 10 passos para construção e organização de uma CSA. Também ocorre uma conversa sobre temas como os equinócios de outono e de primavera em relação à elaboração dos oito preparados biodinâmicos; a influência da lua ascendente e da lua descendente na agricultura; o uso do calendário agrícola biodinâmico; e uma dinamização do preparado chifre-esterco e fladen para uma prática no organismo agrícola anfitrião. O projeto também prevê a realização de dois encontros para elaboração dos preparados biodinâmicos. 

Foto colorida de um homem em pé. Ele usa máscara sobre a boca e nariz e segura uma caneta para escrever em um quadro branco ao seu lado.
Aula realizada em dia de campo sobre a operacionalização do CSA. – Foto: Acervo Pessoal

Durante todo o período de execução, a Associação Comunitária Recanto da Folha e a Uergs acompanham os grupos de CSA que estão nascendo e darão a assessoria necessária até junho de 2021, período de vigência do projeto.

Todas as atividades presenciais estão ocorrendo conforme as recomendações de distanciamento social, com uso de equipamentos de proteção individual, de acordo com as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). 

A iniciativa é coordenada e executada pela equipe técnica da Associação Comunitária Recanto da Folha: espaço cultura de terra e biodinâmica conta com apoio da Uergs, da Ascar/Emater, do Instituto Mahle, da VP Nutrição Funcional, da CSA Brasil e da CSA – RS.

O Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica da Uergs em Tapes

Os Núcleos de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica (NEAs) são espaços de construção de conhecimento agroecológico a partir de ações de Ensino, de Pesquisa e de Extensão que mobilizam interações entre agricultura de base ecológica e a sociobiodiversidade nos territórios. Esse “tripé” é o princípio orientador dos NEAs que estão vinculados aos processos educativos em interação com as comunidades locais, possibilitando múltiplas oportunidades para a geração de conhecimento científico. 

O Núcleo de Estudos em Agroecologia e Produção Orgânica foi implantado na Unidade da Uergs em Tapes em maio de 2018, por meio da Chamada MCTIC/MAPA/MEC/SEAD – Casa Civil/CNPq N° 21/2016 – Linha 1 – Criação de Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA). 

Na Uergs, o Núcleo é composto por docentes pesquisadores e estudantes de graduação e de pós graduação que atuam em ações de Extensão e de Pesquisa relacionadas às áreas da agricultura de base ecológica – como a orgânica e biodinâmica, na educação socioambiental, entre outras áreas voltadas a promover a conservação pelo uso dos recursos naturais e a sustentabilidade econômica, social, cultural e ambiental dos territórios.

A sua criação ocorreu a partir do Curso Piloto de Formação em Agricultura de Base Ecológica: Agricultura Biodinâmica, que integrou conhecimentos teóricos e práticos através da Pedagogia da Alternânica. A proposta do curso emergiu do impulso de agricultores biodinâmicos do território Centro Sul do Rio Grande do Sul em socializar os conhecimentos sobre essa cultura, em uma região em que ocorre o uso intensivo de agrotóxicos em lavouras de arroz e fumo. Na sua concepção, o curso envolveu uma rede de agricultores, técnicos, extensionistas, professores pesquisadores e diferentes instituições de Ensino Superior, sendo a Uergs mediadora para a realização e execução de um curso em que os próprios agricultores atuaram como docentes.

Foto colorida. Sobre um gramado, onze pessoas se reúnem em roda. A maioria está sentada.
Encontro com os integrantes do projeto em Lajeado. – Foto: Acervo Pessoal

Em 2019, o Núcleo realizou atividades na Semana Nacional de Promoção do Alimento Orgânico/2019 e por meio de uma feira agroecológica reuniu agricultores familiares e agricultores agroecológicos de Tapes e de outros municípios do Centro Sul, dando visibilidade à comunidade sobre a sociobiodiversidade e agrobiodiversidade da região.

Outras atividades do NEA foram a promoção de ações na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia em 2018 e 2019, junto às escolas da rede municipal, com oficinas sobre as Plantas Alimentícias Não Convencionais – PANCs; a realização da Feira Agroecológica e da Agricultura Familiar nas dependências da Universidade e uma palestra intercultural sobre Bioeconomia, que promoveu o diálogo entre uma pesquisadora da área com um representante indígena Mbya Guarani. 

Ainda em 2019, foram instaladas duas Unidades de Referência junto aos organismos agrícolas de agricultoras orgânicas, nos municípios de Sentinela do Sul e Barra do Ribeiro, com atividades de elaboração dos preparados biodinâmicos de outono e primavera, visando à construção participativa em tecnologias produtivas e sociais e o compartilhamento de conhecimentos de base agroecológica e orgânica.

O Núcleo também realiza atividades junto aos indígenas Mbya Guarani em aldeias do Centro Sul do Rio Grande do Sul, por meio do projeto “Ma’etymbaraetenhemboguata tekoá Mbya kuery– Agricultura biodinâmica como pedagogia do fazer nas comunidades Mbya Guarani”, coordenado pela Associação Comunitária Recanto da Folha, em que a Uergs é uma das instituições parceiras. Esse projeto tem como objetivo geral realizar ações junto à duas aldeias Mbya Guarani, aldeia Guapoy e aldeia Tava’i, voltadas à agricultura biodinâmica e composição de sistemas agroflorestais dialogando com agricultura originária, para recuperar o solo e fornecer espécies nativas frutíferas, conquistando a soberania e segurança alimentar e nutricional nas comunidades. 

Foto colorida de uma mulher de meia idade. Ela está de joelhos sobre a terra e segura um preparado de chifre-esterco.
Agricultora participando do preparo do chifre-esterco. – Foto: Acervo Pessoal

O NEA é uma das instituições parceiras do projeto “A Rota dos Butiazais no Bioma Pampa: conectando pessoas e ecossistemas para a conservação e uso sustentável da biodiversidade”, coordenado pela Embrapa – Clima temperado. Nessa iniciativa, o Núcleo é o responsável por caracterizar, por meio de diagnóstico socioambiental, o extrativismo de butiá considerando as características dos extrativistas, áreas de coleta, da matéria-prima e dos produtos confeccionados; e identificar as boas práticas de coleta, manipulação, e beneficiamento dos produtos feitos com a polpa de butiá, estabelecendo critérios para comercialização. Nesse sentido, já foi elaborado um Trabalho de Conclusão no Curso de Bacharelado em Gestão Ambiental atendendo em parte esses objetivos e o grupo atuou em eventos locais como a Semana de Atividades sobre Uso Sustentável do Butiá em Tapes, realizada desde 2018. 

Recentemente, o NEA integrou o Círculo de Agroecologia Sociobiodiversidade, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (ASSSAN-Círculo) que tem como objetivo geral promover estudos e processos de extensão sobre as temáticas da agroecologia, soberania e segurança alimentar e nutricional na América Latina, com ênfase nos sistemas alimentares sustentáveis e sociobiodiversidade.

O Núcleo atua também na área de gestão intercultural de resíduos.

Em síntese, o NEA busca realizar ações que fortaleçam agriculturas de base ecológica (agricultura indígena, orgânica biodinâmica); promover a Soberania Alimentar e Segurança Alimentar e Nutricional, valorizando a agrobiodiversidade e a sociobiodiversidade; construir diálogos agroecológicos interculturais; realizar ações que envolvam a diversidade cultural das famílias agricultoras, extrativistas, indígenas Mbya Guarani e povos e comunidades tradicionais; e promover dar visibilidade a sistemas alimentares sustentáveis e sociobiodiversos.

Parceria 

A parceria entre a Uergs e a Recanto da Folha teve início em 2018, quando a Associação ofereceu apoio técnico para a execução das atividades do Curso Piloto de Formação em Agricultura de Base Ecológica: Agricultura Biodinâmica, atuando nas áreas de consultoria, palestras e práticas em agricultura biodinâmica e permacultura. Esse foi o curso que deu origem ao NEA-Uergs/Tapes. 

Em 2019, foi oficializado um Acordo de Cooperação entre a Associação e a Uergs para a realização de atividades e projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão. Nesse mesmo ano, teve início o primeiro projeto da ONG em parceria com a Uergs, o “Ma’ety, mbaraetenhemboguata tekoá Mbya kuery – Agricultura biodinâmica como pedagogia do fazer com sentido nas comunidades Mbya Guarani (2019-2020)”.

A Associação Comunitária Recanto da Folha: espaço cultura da terra e biodinâmica está localizada no município de Taquari e funciona como um laboratório de tecnologias sociais a partir de experiências como: Permacultura, Agroecologia, Agricultura biodinâmica, Bioconstrução, Agrofloresta e apoio na criação de grupos de Comunidade que Sustenta a Agricultura (CSA). A Associação Recanto da Folha é também responsável pelo impulso na criação da CSA-RS, que funciona como uma incubadora de CSA no estado do Rio Grande do Sul, como a CSA-Porto Alegre, CSA-Caxias do Sul e outras iniciativas dentro e fora do estado em parceria com a CSA-Brasil.

Por Daiane de Carvalho Madruga.

Fonte:

https://uergs.edu.br/nucleo-de-estudos-em-agroecologia-e-producao-organica-da-uergs-em-tapes-amplia-atuacao-para-outras-regioes-do-estado

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.